Posição da CPV perante declaração de Coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins

AddThis Social Bookmark Button

Foi com grande perplexidade que nos deparámos com as declarações da Dr.ª Catarina Martins, Coordenadora do Bloco de Esquerda, proferidas no dia 17 de Abril pp. que referiam que o voluntariado “é uma treta”. A CPV, enquanto entidade que representa os voluntários de Portugal, afirma que, sendo o voluntariado uma expressão de cidadania, a afirmação proferida não reflete a realidade do voluntariado em Portugal, ainda que existam, e devem ser denunciadas, situações irregulares e condenáveis face à Lei 71/98 de 3 de Novembro.

A CPV tem vindo a reiterar o seu posicionamento contrário a todas as situações de substituição de postos de trabalho por voluntariado. Aliás, na última vez que subscreveu este posicionamento, a CPV defendeu liminarmente que não só se deve proceder “à distinção clara entre emprego assalariado e voluntariado de acordo com a missão da organização, como também repudia todas as formas de abuso neste contexto” (nº 31 do Memorando Associativo 2015). Sublinhamos que este Memorando foi entregue em mão junto do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, juntamente com uma apresentação da CPV e da sua ação, em audiência havida no dia 19 de Janeiro de 2016, com o deputado Jorge Campos, em conjunto com todas as organizações promotoras do Congresso do Nacional das Coletividades das Associações e Clubes.

A CPV já solicitou audiência com a Coordenação do Bloco de Esquerda e aguarda resposta.

Newsletter – CPV

(clique na imagem para subscrever)

A CPV é membro do Centro Europeu de Voluntariado
Ano Europeu dos Cidadãos - 2013
Ano Europeu do Combate à Pobreza e Exclusão Social - 2010